03/2007 - Entrevista com Francisco Bologna
Revista Projeto
Arco Design

Autor de vasta e variada obra produzida entre meados dos anos 1940 e o final da década de 1980, Francisco Bologna traçou caminho ímpar no panorama da arquitetura moderna brasileira. Partiu da originalidade formal vinculada à Pampulha, manipulou a síntese entre velho e novo forjada por Lucio Costa e, depois de 1960, absorveu a construtividade e a limpeza de alguns trabalhos de Affonso Eduardo Reidy e Mies van der Rohe, mestre estrangeiro que mais admirava.

 

Esta entrevista, realizada em 17 de março de 2005, faz parte das pesquisas efetuadas durante a elaboração da dissertação de mestrado “Arquitetura Moderna Carioca, 1960-85 / A Dimensão Brutalista”, defendida pelo professor Flavio Castellotti, em junho de 2006, no PROARQ/FAU/UFRJ. Dado o tema da dissertação, a entrevista concentra-se sobretudo no período de transição da obra do arquiteto (início dos anos 1960), na sua relação com Affonso Eduardo Reidy, em seu método de trabalho e no ambiente do extinto Departamento de Habitação Popular da Prefeitura do Rio de Janeiro, onde Bologna trabalhou de 1946 a 1960.




 



  Flavio Castellotti